Um conceito que vem chamando a atenção de empresários é o business intelligence. Para exemplificarmos essa análise, podemos observar os processos de trabalho de um médico.

A palavra “diagnóstico” normalmente é usada no vocabulário da Medicina. Quando um paciente vai até um consultório médico reclamar de dores, ele oferece ao profissional algumas informações. O médico, por sua vez, pode pedir exames clínicos, que trarão ainda mais informes. Após isso, cabe ao profissional interpretar tantos dados e chegar a uma conclusão resolvendo o problema deste paciente.

Agora, imagine se o seu negócio pudesse ter um processo de análise de informações com essa qualidade e organização? É isso que o business intelligence oferece às empresas: diagnóstico preciso.

Business Intelligence: sua empresa fala!

Os processos de sua empresa podem ser otimizados, gerando economia, aumentando a qualidade e melhorando a produtividade, mas para isso é importante ter acesso aos dados que eles geram.

É pouco eficiente falar em “melhorar processos” quando não se sabe o que precisa ser aperfeiçoado. Por isso, o primeiro passo é analisar corretamente as informações relacionadas com sua atividade produtiva, cruzando esses dados com outras análises como por exemplo: o mercado, o custo de cada processo ou mesmo o impacto que ele possui no preço final de um produto. Tudo isso já é possível com o Business Intelligence.

A linguagem do empreendedorismo é escrita com números, e o mais importante é saber entendê-los. Automatizar essa tarefa faz com que relatórios precisos estejam sempre à mão dos empresários, ajudando-os a fazer mudanças com risco mínimo de erro.

Business Intelligence aperfeiçoa decisões

Preveja tendências

Os softwares de ERP, que monitoram os processos da empresa, conseguem oferecer a previsão de tendências mercadológicas. Isso ocorre porque esses dados são analisados dentro de um conjunto de informações, incluindo o mercado.

Sendo assim, o negócio consegue antever, por exemplo, a necessidade de investir na contratação de colaboradores, pois já possui informações que mostram a previsão no aumento de vendas.

Crie metas reais

Uma análise mercadológica que ignora fatores internos não trará resultados à empresa. Nesse cenário, um empresário questiona como seu negócio teve baixo crescimento se o setor estava em um bom momento.

Para ajudar a empresa a estabelecer metas eficientes, o Business Intelligence apresenta relatórios que levam em consideração a situação real do negócio, dando ao empreendedor a chance de preparar sua empresa para o momento atual do mercado.

Ofereça dados transparentes

Credibilidade atrai investidores e garante a solidez de qualquer empresa, mas, para isso, é muito importante que os dados fornecidos pela organização sejam confiáveis.

O Business Intelligence, por meio de seus sistemas automatizados, diminui consideravelmente os riscos de erro humano e fraude na geração de informações, dando credibilidade aos tomadores de decisão e gerando um ambiente mais confiável e próspero para a empresa.

Essas informações podem garantir aos líderes a confiança dos seus subordinados diante de decisões complexas, pois conseguem convencê-los de sua necessidade.

Porém… muito cuidado com a origem dos dados!

Apesar do Business Intelligence ser muito útil nas organizações muita cautela deve ser tomada em relação a esta tecnologia, de forma a permitir um uso efetivo e eficiente desta.

Ao contrário do que muitos propagam o Business Intelligence não pode e não deve ser encarado como a única tecnologia de análise disponível nas organizações e pode em muitos casos estar oferecendo dados equivocados para a tomada de decisão.

Neste caso é fundamental uma análise profunda da origem dos dados antes de se efetivamente começar a tomar decisões baseado no que está aí presente. Informações sobre custos e despesas e seus impactos em processos, produtos, serviços, canais e clientes representam bons exemplos de informações que não estão disponíveis nas organizações e, portanto, requerem um tratamento especial através de uma pré-modelagem; é necessário um tratamento de custos e resultados de forma eficiente e em um sistema à parte para que as análises sejam realmente efetivas – e isto é algo que nem um BI e nem mesmo o ERP pode oferecer. Uma modelagem eficiente possui nuances próprias e requer um tratamento especial antes de efetivamente serem gerados relatórios e análises que muitas vezes passam informações inverídicas para os gestores tomarem decisão, portanto muito cuidado aqui!

Se você gostou deste artigo sobre Business Intelligence, não deixe de assinar nossa newsletter para receber em primeira mão — e de graça — os melhores artigos sobre empreendedorismo e novidades no setor.