É comum que grandes empresas enfrentem problemas com controle de gastos, despesas, redução de custos, lucratividade, entre outros elementos ligados a finanças. A questão é que, dependendo da gravidade, esses problemas podem ditar o sucesso dos negócios.

A boa notícia é que há formas de administrar essas questões, de modo que elas não prejudiquem o andamento da empresa. Um dos indicadores que podem ajudar é o CMV: medida capaz de fornecer informações essenciais sobre a relação entre vendas e compras de um empreendimento.

Neste artigo, você entenderá como calcular o CMV e a sua importância para otimizar a gestão estratégica. Confira!

O que é o CMV?

CMV, também conhecido como Custo de Mercadoria Vendida, é a relação entre as vendas e as despesas necessárias para produzir e armazenar uma determinada mercadoria.

Esse indicador financeiro mede o sucesso de um produto por meio do valor do capital estocado. Dessa forma, é possível considerar o que sobrou do estoque de um determinado período, em vez de identificar apenas o índice de saída de mercadorias.

O CMV é um termo aplicado a indústria. Para serviços e comércios, há outro indicador, o Custo de Serviços Vendidos ou CSV. Nesse caso, utiliza-se a mesma lógica, com diferenças apenas nos fatores que entram no cálculo.

Quais são os benefícios do CMV?

A inclusão do CMV no balanço financeiro de qualquer empresa pode trazer benefícios bem interessantes para que ela atinja os resultados esperados e consiga controlar sua produção. A seguir, citaremos alguns:

Alertar para problemas de gastos

Como o CMV lida diretamente com o estoque e com as despesas da produção, pode ser um grande aliado para descobrir se a organização não está gastando demais com um produto/operação ou se determinados artigos que estão no estoque não estão encalhados há muito tempo.

Ajuda na gestão dos gastos

Os resultados obtidos no cálculo do Custo de Mercadorias Vendidas fazem parte das despesas contábeis e devem estar juntos às receitas de vendas. Dessa forma, o CMV acaba por ser um instrumento importante não só para indicar a lucratividade, mas também auxiliar os gestores da empresa a analisarem as compras de materiais e as vendas daquilo que produzem.

Descobrir se a empresa está saudável

Muitos investidores utilizam o CMV para encontrar a margem bruta do negócio. Como eles conseguem analisar o percentual das receitas e o quanto está disponível para cobrir os gastos, fica fácil ter ideia de como estão as finanças da empresa.

Auxilia nas iniciativas de vendas

Com os resultados obtidos pelo CMV, a empresa tem informações suficientes para melhorar o seu planejamento e criar estratégias para estimular o consumidor a adquirir seus produtos. Afinal, é possível descobrir quais artigos demoram para ser vendidos e, assim, pensar em planos para repassar esses produtos parados. Por exemplo, realizar uma promoção ou descontos específicos.

Melhora o gerenciamento do estoque

Conforme a empresa consegue identificar quais são os produtos mais vendidos e quais são aqueles que estão a mais tempo no estoque, torna-se possível definir medidas para analisar o espaço.

Em outras palavras, é possível determinar de que maneira essa área pode ser melhor utilizada, além de usar outro espaço com capacidade alinhada à quantidade de produtos.

Como equilibrar o CMV e o CSV?

Após obter os dados dos indicadores, você pode chegar à conclusão de que a lucratividade está abaixo do esperado. Para equilibrar essa medida e voltar às margens desejadas, algumas providências podem ser tomadas.

Estudar melhores fornecedores, sempre procurando negociar e controlar os desperdícios, por exemplo, são ótimas formas de reduzir os custos e equilibrar os parâmetros.

Ademais, fazer um controle rígido de estoque, isto é, controlar tudo que entra e sai da empresa, assim como os produtos devolvidos ou insumos retornados aos fornecedores, são fatores que podem aumentar a precisão do CMV e do CSV.

O que é necessário para calcular o CMV?

Uma das partes mais importantes para conseguir calcular o CMV de formar precisa é identificar, contar e classificar os produtos que estão no estoque, ou seja, os dados devem ser sempre atualizados. Essa atividade é crucial para obter um controle de entrada e saída, além de tornar os pedidos dos clientes sempre acessíveis.

As matérias primas da produção ou serviço representam outro ponto que precisa ser analisado e catalogado. Assim, com esses dados bem atualizados, as chances de chegar a um resultado correto do CMV é de 100%. Além disso, a possibilidade de ter uma visão ampla do que está faltando ou sobrando no estoque é quase certa.

Como calcular o CMV e CSV?

Agora que você entende o que é CMV, os seus benefícios e como equilibrá-lo com o CSV, entenda como calcular esses índices a seguir.

Como calcular o CMV

Como já foi abordado, o CMV tem o objetivo de indicar o custo das vendas em um determinado período, considerando o que sobrou em estoque. Para isso, os valores que devem ser considerados são:

  • Estoque Inicial (EI);
  • Compras (C);
  • Estoque Final (EF).

A fórmula do cálculo é: CMV = EI + C – EF

Se sua empresa tinha R$ 5 mil em estoque no início do mês, comprou R$ 3 mil e fechou o mês com R$ 4 mil no inventário, por exemplo, o cálculo do CMV seria feito da seguinte forma:

CMV = 5000 (EI) + 3000 (C) – 4000 (EF)

CMV = R$ 4 mil

Em seguida, basta subtrair esse resultado do faturamento para obter o lucro bruto relativo ao mês. Com o resultado da lucratividade bruta, também é possível chegar ao lucro líquido deduzindo os outros custos, como impostos sobre o faturamento, contas de telefone e internet, etc.

Como calcular o CSV

Quanto ao CSV, que calcula o custo dos serviços vendidos, os valores são:

  • Saldo Inicial dos Serviços em Andamento (Sin);
  • Mão de Obra direta aplicada nos serviços vendidos (MO);
  • Gastos Diretos aplicados nos serviços, como locação de equipamentos (GDS);
  • Gastos Indiretos aplicados nos serviços, como luz e reparo de equipamentos (GIS);
  • Saldo Final dos Serviços em Andamento (Sfi).

A fórmula é a seguinte: CSV = Sin + (MO + GDS + GIS) – Sfi

Observação! As operações para lucro bruto e lucro líquido são as mesmas do cálculo anterior.

Qual é a importância desses indicadores?

Na maioria das vezes, utiliza-se o faturamento e os custos de aquisição para calcular a lucratividade das vendas. É incluído nessa conta o inventário ou os serviços em andamento. Isso permite ao gestor considerar os produtos não vendidos e obter dados eficazes sobre o lucro bruto da empresa. Dessa forma, há um melhor norteamento para controlar as operações de produção, estocagem ou aquisição.

A partir das informações apresentadas, fica claro que tanto o CMV quanto o CSV são fundamentais para entender o custo das vendas de mercadorias ou produtos, além dos ganhos exatos, otimizando e melhorando os processos das empresas.

Por serem ferramentas indispensáveis para qualquer gestor, há uma série de softwares de gestão que fazem esses cálculos, evitando o processo manual e diminuindo as chances de obter falsas informações.

Este artigo ajudou a entender a importância do CMV e a como realizar o seu cálculo? Quer conhecer outras soluções e dicas financeiras? Acesse agora o nosso conteúdo sobre como criar e analisar KPIs da maneira correta.