A falta de controle financeiro empresarial está entre os principais motivos da falência de diversas empresas e não são somente as micro e pequenas empresas que sofrem com este problema. Pelo contrário, as médias e grandes corporações também precisam focar e criar estratégias para utilização do capital e demais recursos financeiros do negócio.

Um bom e eficiente plano financeiro é fundamental para que toda empresa se mantenha ativa e competitiva no mercado, sobreviva em meio a crises e contratempos que podem atingir o seu fluxo de caixa. Portanto, essa prática não é só uma questão de reduzir custos, mas de sobrevivência.

Pensando nisso, reunimos 5 dicas para que você comece a adotar um controle financeiro empresarial no seu negócio e como colocá-las em prática. Acompanhe!

1. Faça o planejamento financeiro

Antes de tudo, é preciso definir como será o seu controle e planejamento de recursos. Para isso, primeiro será necessário conhecer cada característica financeira da empresa, como os gastos, os ganhos, despesas, se há dívidas em aberto e afins.

Após esse processo, você deverá definir metas e objetivos claros e alcançáveis para cada setor. Esses propósitos podem ser planejados mensal, bimestral, trimestral semestral e anualmente.

O controle financeiro empresarial deve ser feito quanto antes, pois em poucos meses a situação econômica do país ou orçamentária da sua empresa pode sofrer grandes alterações e um bom controle pode ser decisivo para manter o negócio em funcionamento.

2. Registre todas as despesas e receitas

O caminho mais rápido e fácil para a falência é o descontrole e desconhecimento daquilo que a sua empresa deve pagar mensalmente. Programar, organizar e registrar todos os gastos, receitas e qualquer tipo de despesa é fundamental para manter as contas em dia, adotar estratégias de reduzir estes valores e de otimizar o seu controle financeiro empresarial.

Então, invista em um bom software de gestão — já que as planilhas de Excel são ineficientes para o gerenciamento financeiro — e registre toda saída e entrada do caixa e as despesas fixas e variáveis. Com isso, poderá ser feito um diagnóstico sólido para tomar decisões embasadas em fatos, dados e não em suposições.

3. Desenvolva orçamentos para cada setor

Cada departamento da sua empresa tem características e necessidades distintas. Por exemplo, a administração tem despesas e precisa de recursos diferentes do setor de compras. Sendo assim, generalizar demais ou dividir igualmente o orçamento pode não ser uma boa ideia, já que algumas áreas podem ficar com menos capital do que realmente precisam.

Então, para que o seu controle financeiro empresarial funcione eficientemente, crie orçamentos e categorias de custos para cada centro do negócio. Defina um limite para gastos com insumos de escritório, por exemplo. Caso as compras ultrapassem o teto, converse com o responsável e tentem criar uma cultura de economia.

4. Monitore as pendências

Por meio de um bom planejamento será possível acompanhar as inadimplências da sua empresa, prática que é fundamental para quitar e manter sob controle qualquer tipo de débito que esteja em aberto, evitando assim, uma bola de neve.

Para isso, categorize as dívidas, saiba quanto e para quem está devendo. Assim, poderá tentar renegociar e entrar em acordos para quitá-las.

5. Analise frequentemente os resultados

Após definir as suas metas, elaborar o seu planejamento e dividir os seus recursos, não abone o seu controle financeiro empresarial. É muito importante que os resultados e indicadores sejam verificados, analisados e estudados ao menos uma vez por mês.

Isso permitirá saber se os objetivos e estratégias empregados estão se comportando conforme o esperado, permitindo que conheça melhor o seu negócio e tenha uma tomada de decisão efetiva e funcional.

O controle financeiro empresarial deve ser o seu guia para tomar qualquer tipo de decisão e funcionar como uma estratégia para ter mais liquidez e se manter ativo no mercado. Para isso, conheça cada característica do seu negócio, registre todas as movimentações do caixa e acompanhe frequentemente os resultados.

O que achou das nossas dicas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais e ajude outros gestores a dominarem o controle financeiro!