Existe uma palavra que norteia as decisões de muitas empresas: lucro. Contudo, muitos empreendedores se esquecem de outro vocábulo tão importante quanto o primeiro: trata-se do “custo”. Esse termo pode definir o desempenho empresarial.

Por isso, é comum vermos empresas que estão em um mercado que apresenta crescimento, que possuem boa margem de vendas, mas, mesmo assim, encerram suas operações em um curto período.

Geralmente seus gestores não fizeram um bom gerenciamento dos custos. Por isso, entenderemos mais sobre esse tema ao longo deste artigo. Boa leitura!

O processo de compras impacta seu desempenho empresarial

Existem momentos em que uma empresa se assemelha a uma família. Quando os pais estão desempregados, eles decidem reavaliar seus gastos, percebendo a quantidade de despesas desnecessárias que possuíam.

No caso das empresas, isso também ocorre. Quando o contato com fornecedores é feito de forma automática, sem nenhum questionamento, o desempenho empresarial está em risco.

Por isso, certifique-se de que seu setor de compras está determinado em garantir os melhores fornecedores para sua empresa. Isso significa, sim, a busca pelo melhor preço, mas, principalmente, pelo melhor serviço.

Além disso, mapeie seus gastos. O empresário deve saber o quanto cada processo custa à empresa. Trata-se de entender o valor desses investimentos no crescimento do negócio.

Seus custos devem fazer parte de uma estratégia maior

Os custos variam de acordo com a quantidade produzida de produtos. Por isso, o aumento de produção deve ser feito com cuidado. A falta de estratégia pode fazer com que a empresa interprete os números do mercado de forma errada, gerando prejuízos. O ideal é segurar o entusiasmo para evitar um grande estoque de produtos.

Por isso, desenvolva cenários hipotéticos que considerem períodos de aumento de produção. Dessa forma, a empresa terá uma ideia do quanto pode destinar para um eventual aumento de custos. Em alguns casos, é possível fazer esse investimento minimizando riscos. Trata-se da substituição da modernização de processos, que faz com que o negócio reduza custos e ganhe eficiência.

Identificar a margem de contribuição é fundamental

O cálculo é simples: margem de contribuição = preço da venda – custos diretos. O esperado é que o preço de venda seja maior do que os custos diretos – aliás se possível bem maior! Em alguns casos, esse valor é insuficiente para sequer pagar os custos indiretos.

Um exemplo dessa conta ocorre quando um novo produto não se paga. Nesse caso, um campeão de vendas pode ter seu preço alterado para cobrir o rombo causado por um fracasso mercadológico da companhia.

Esse tipo de manobra só pode ser feita quando a empresa já realizou estudos sobre a margem de contribuição de seus principais produtos.

Como vimos neste artigo, o desempenho empresarial exige a análise cuidadosa e eficiente dos números da empresa. Por isso, as informações internas devem ser armazenadas, analisadas e publicadas por meio de softwares de gestão — não há espaço para amadorismo.

Se você gostou deste artigo sobre desempenho empresarial, siga o blog em suas redes sociais. Dessa forma, você sempre terá acesso a atualizações sobre o mundo dos negócios! Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Twitter e no Google Plus.