O patrimônio de uma empresa é muito maior do que os seus resultados de lucratividade. Esse patrimônio inclui, por exemplo: maquinário, imóveis, investimentos etc. Tudo isso pode ser transformado em capital, ajudando o empreendimento a investir, ou a pagar credores. Sabendo disso, torna-se muito importante para o empreendedor saber calcular o índice de liquidez de cada investimento de seu negócio.

Neste artigo entenderemos mais sobre esse tema fundamental para a saúde financeira de qualquer empresa. Vamos lá?

Afinal, o que é índice de liquidez?

É um indicador financeiro que mostra o quanto a empresa possui em recursos. Desse modo, é possível entender a capacidade de endividamento do negócio. Cada investimento possui uma liquidez diferente. Um imóvel, por exemplo, possui baixa liquidez, ou seja, não é possível transformá-lo em capital rapidamente.

Para saber calcular o índice de liquidez os empresários precisam consultar o balanço patrimonial da companhia. Dessa forma, fica claro se a empresa possui ativos suficientes para honrar suas obrigações. Um empreendimento pode perceber que não possui solvência necessária para expandir suas operações, por exemplo.

Quanto maior o índice de liquidez de uma empresa, maior é a sua saúde financeira. Por exemplo: se após o cálculo o resultado for superior a 1, isso significa que o negócio possui uma boa margem de capital, capaz de pagar suas dívidas sem comprometer investimentos.

Se o resultado do cálculo for muito próximo a 1, isso quer dizer que a empresa possui quantia exata para honrar suas obrigações, ficando sem recursos após saná-las.

Se o cálculo resultar em zero — ou em um número menor— isso quer dizer que a empresa não tem como pagar seus credores. Uma situação preocupante.

Como calcular os tipos de índices de liquidez?

Liquidez Corrente

O índice de liquidez corrente tem foco no curto prazo. Por isso, para calculá-lo é necessário consultar o ativo circulante do negócio, assim como as obrigações financeiras imediatas.

A fórmula é a seguinte: ativo circulante / passivo circulante.

Liquidez seca

Com um foco ainda maior no curto prazo, o índice de liquidez seca exclui do ativo circulante o estoque do negócio, pois nessa conta entra apenas os recursos que a empresa já possui. A liquidez seca é, portanto, menor do que a liquidez corrente.

Sua fórmula é: (ativo circulante – estoque) / passivo circulante

Liquidez imediata

Ao contrário dos outros índices de liquidez citados, esse cálculo não leva em consideração o ativo circulante, mas, apenas, os recursos que a empresa já possui, ou seja: saldo em contas bancárias, capital em caixa e investimentos financeiros com liquidez imediata.

Para calculá-lo faça a seguinte conta: disponível / passivo circulante

É necessária cautela para analisar esse índice. Ter mais dinheiro em conta do que dívidas em curto prazo nem sempre é algo positivo. Dependendo de fatores externos, como a inflação, esses recursos podem perder seu valor.

Liquidez geral

Com foco em longo prazo o índice de liquidez geral leva em conta os recursos que a companhia já possui, além daqueles que virão. O mesmo vale para as obrigações. Os dados necessários para calcular esse índice são encontrados no balanço patrimonial da empresa.

Para calculá-lo é simples: (ativo circulante + realizável em longo prazo) / (passivo circulante + passivo não circulante).

Ter acesso às informações corretas é fundamental na hora de saber qual o índice de liquidez de sua empresa. Por isso, não deixe de usar a tecnologia para armazenar as informações financeiras de seu negócio. Além do mais, lembre-se que esses cálculos são complementares a outros estudos financeiros.

Se você gostou deste artigo sobre índice de liquidez assine nossa newsletter. Você receberá o melhor do nosso conteúdo, de graça!