Blog

O melhor conteúdo sobre custos e lucratividade

Microgerenciamento: quais são as causas, impactos negativos e como resolver?

Microgerenciamento: quais são as causas, impactos negativos e como resolver?

Não se engane com a palavra microgerenciamento: ela pode parecer mais uma técnica de gestão inovadora, mas é exatamente o contrário. O controle excessivo sobre os times, especialmente em tarefas menores, pode ser extremamente prejudicial ao negócio.

A gestão de equipes tem avançado a passos largos no ambiente empresarial moderno. E isso não se deve apenas a modelos de gestão mais humanos: isso acontece porque até mesmo as tarefas mais rotineiras dos funcionários são mais complexas do que há 30 anos.

O microgerenciamento é uma herança de antigos modelos de gestão e pode ser uma pedra no sapato de qualquer negócio que pretende deslanchar no mercado. Por isso, no post de hoje vamos explicar o que ele é, suas causas e como acabar com esse problema de vez.

O que é o microgerenciamento

O microgerenciamento é quando um líder tenta se impor de maneira que seus liderados precisam obrigatoriamente colocá-lo de alguma forma a par de todos os mínimos detalhes operacionais do seu trabalho.

O problema é que isso, além de ser humanamente impossível devido ao volume de trabalho e ao tamanho das equipes, é altamente desmotivador para os liderados, que sentem que seu gestor não deposita confiança em seu trabalho.

Alguns sinais do microgerenciamento, que é quando o gestor deixa de liderar e passa a auditar o trabalho da equipe, podem ser observados em algumas atitudes:

  • exigir ser copiado em todas as trocas de e-mails da equipe/empresa;
  • tudo precisa ser autorizado por ele, até mesmo tarefas banais, como tirar uma fotocópia;
  • equipes limitadas a participar de projetos com outras frentes da empresa a não ser que seu líder esteja envolvido.

Principais causas e problemas do microgerenciamento

As causas para o microgerenciamento podem ser diversas, mas elas costumam ter pelo menos duas raízes comuns: causas pessoais e causas organizacionais.

Causas pessoais podem envolver problemas com insegurança, dificuldade em confiar por conta de traumas anteriores e até obsessividade.

Já as causas organizacionais podem ser o próprio modelo de gestão da diretoria, políticas internas, cultura top down da empresa e instabilidades/incertezas no cargo.

Os principais problemas que o microgerenciamento podem causar são:

Ambiente de trabalho estressante

Cobranças excessivas, falta de motivação e principalmente o não reconhecimento dos resultados elevam o estresse dos funcionários e sua produtividade despenca.

Equipe limitada

Com todos os seus passos sendo minuciosamente monitorados pelos gestores, a equipe deixa de inovar e se mantém na zona de conforto de entregar somente aquilo que é pedido.

O gestor como mau exemplo (ou não-exemplo)

Quando o gestor é um microgerenciador, ele pode fazer com que sua equipe se torne assim também ou até mesmo que não seja respeitado e a retenção e desenvolvimento de talentos seja nula.

Como livrar a empresa do microgerenciamento

Você já deve ter percebido que o microgerenciamento não é brincadeira, não é mesmo? A boa notícia, no entanto, é que com algum esforço e tomando atitudes efetivas a respeito desse tipo de gestão é possível reverter o caso:

  1. Forneça treinamentos de gestão modernos para seus líderes.
  2. Reconheça cada progresso da equipe, não importando o tamanho.
  3. Tenha empatia e conheça melhor a sua equipe para ajudá-los em suas especificidades.
  4. Dê autonomia para a equipe fazer o trabalho operacional e concentre-se nos desafios de gestão.
  5. Seja sempre transparente, seus liderados serão inspirados por isso e farão o mesmo por você.

Gestão de resultados

Confiar em sua equipe e deixar isso bem claro para eles é essencial para eliminar de vez o problema do microgerenciamento. Deixe seus funcionários se concentrarem naquilo que são bons, confie em seu talento.

Aliás, também é preciso confiar em softwares de gestão capazes de otimizar cada vez mais o seu trabalho e trazer grandes resultados para o negócio. Essas sim são grandes estratégias de gestão.