Blog

O melhor conteúdo sobre custos e lucratividade

Aplicação do orçamento dinâmico: veja como funciona!

Aplicação do orçamento dinâmico: veja como funciona!

Um dos temas mais delicados em relação à gestão é, sem dúvidas, o dinheiro. Nesse sentido, a aplicação do orçamento é uma tarefa fundamental para o planejamento e o controle das atividades da empresa, visando às melhores tomadas de decisões.

Antes de aprofundar-se no tema, é importante entender que orçamento significa calcular o custo de um determinado produto ou serviço a fim de estimar o melhor preço. Dito isso, esse instrumento pode ser útil em diversas ocasiões, fazendo a diferença para muitos empresários e gestores.

No entanto, há diferentes modalidades de orçamento empresarial usadas no mercado. Entre elas, está o orçamento dinâmico — que pode ser ajustado diante de possíveis necessidades. Para saber seu conceito, como elaborar e aplicar esse tipo de avaliação financeira no seu negócio, continue a leitura!

Entenda o conceito de orçamento dinâmico

O orçamento dinâmico — ou flexível, como também é conhecido — analisa os custos variáveis de forma mais livre. Ou seja, os recursos orçamentários não são fixados com base em uma estimativa pré-determinada e podem ser ajustados se o volume de atividade efetiva se alterar face ao estimado.

Portanto, na hora de realizar a aplicação do orçamento dinâmico, há uma maior flexibilidade para movimentar as estruturas de acordo com as necessidades e metas da organização.

No entanto, é importante lembrar que, para elaborar esse orçamento de forma eficiente, os gestores devem ter uma distinção clara entre as despesas e os custos. Nesse caso, os custos serão a parte “flexível”, enquanto os gastos são mantidos estáticos.

Veja as diferenças entre orçamento dinâmico e orçamento estático

O orçamento estático é uma das modalidades orçamentárias mais utilizadas pelas empresas brasileiras. Nele, todos os itens orçamentários, tais como receitas, custos, despesas e investimentos, são determinados pela fixação de um volume de produção ou de vendas que determina o volume das demais atividades da organização.

Uma vez que esse volume é fixo, não é permitida nenhuma alteração, mesmo que, durante a execução das atividades, haja alguma variação na demanda, na produtividade ou nos resultados.

O orçamento dinâmico, ao contrário, permite a alteração dos recursos disponibilizados com base na variação dos resultados. Ou seja, caso o volume de produção aumente, é permitido um aumento proporcional dos orçamentos como matérias-primas, impostos, comissões etc.

Conheça as vantagens e desvantagens do orçamento dinâmico

Antes de conferir os pontos positivos e negativos do orçamento flexível, é importante ter em mente que cada empresa e cada caso pode exigir um modelo orçamentário diferente. Então, acompanhe!

Vantagens

  • Por meio da flexibilização, é possível ajustar as previsões em qualquer tempo;
  • Ele é considerado altamente dinâmico, pois mostra a relação entre custo e volume em curto prazo, uma vez que as estimativas de despesas para qualquer volume ou ritmo de atividade podem ser calculadas rapidamente;
  • Permite aproveitar bons momentos do mercado para maximizar lucros e aumentar as vendas de forma mais dinâmica e veloz;
  • Ajuda as empresas a se protegerem de fases ruins do mercado, minimizando perdas e reagindo a crises de forma mais eficiente;
  • As peças orçamentárias têm maior relevância em caso de mudanças de cenário;
  • Demonstra o desvio real do planejado e proporciona aos gestores uma ampla visão de seus negócios;
  • Empresas de menor porte podem fazer a aplicação do orçamento dinâmico com maior facilidade, pois os departamentos são reduzidos e as alterações de rumo são mais ágeis.

Desvantagens

  • Monitoramento contínuo das mudanças no ambiente dos negócios;
  • Acompanhamento constante nos níveis de atividades da organização;
  • Os ajustes permitidos no orçamento dinâmico exigem motivação dos gestores para se adaptarem a constantes mudanças;
  • O orçamento pode ser considerado complexo ao ser implementado.

Descubra como elaborar um orçamento dinâmico

Na hora da elaboração do orçamento dinâmico, é necessário ter uma estimativa de custo mestre já preparada e compreender o comportamento das despesas — isso significa fazer uma perfeita distinção entre custos fixos, variáveis e semivariáveis.

Além disso, é necessário identificar o volume real dos itens produzidos e vendidos e, fazer uma estimativa do faturamento planejado para determinar quanto dinheiro estará em caixa.

Depois, é preciso comparar essa avaliação financeira com os registros prévios das despesas, custos e rendas para determinar a relevância do orçamento dinâmico. Além disso, é importante reavaliá-lo periodicamente.

Confira um exemplo prático

A empresa WYZ quer elaborar o orçamento dinâmico para realizar comparações mensais entre o valor real e o orçado. A organização está projetando os seguintes custos:

 Custos Variáveis $  Custos Fixos/Mês $
Materiais indiretos  1,10 Depreciação 12.000
Mão de obra indireta  1,50 Supervisão  8.000
Comissões  0,80 Manutenção  40.000

 

Ela deseja projetar seus custos para vários níveis de atividades, alcançando o volume inicial de 9.000 e 11.000 unidades/mês para os produtos A e B.

Produtos A B Total
Vendas/Uni. 9.000 11.000 20.000
Custos variáveis
Materiais indiretos  1,10  9.900,00  12.100,00  22.000,00
Mão de obra indireta  1,50  13.500,00  16.500,00  30.000,00
Comissões  0,80  7.200,00  8.800,00  16.000,00
Total dos C.V.  30.600,00  37.400,00  68.000,00
Custos fixos
Depreciação  6.000,00  2.700,00  3.300,00  6.000,00
Supervisão  5.000,00  2.000,00  3.000,00  5.000,00
Manutenção  20.000,00  9.000,00  11.000,00  20.000,00
Total dos C.F.  31.000,00  9.000,00  11.000,00  20.000,00
Total dos custos  39.600,00  48.400,00  88.000,00

 

Portanto, a aplicação do orçamento dinâmico pode facilitar muito o funcionamento da organização. Mesmo com certo grau de complexidade, ela constitui-se em uma ótima ferramenta para o êxito do processo orçamentário.

Saiba como realizar a aplicação do orçamento dinâmico

A aplicação do orçamento dinâmico é um ponto muito importante, pois essa etapa é essencial para a boa gestão da empresa. Por exemplo, em uma estimativa de custo em que há um grande volume de dados — o que aumenta a complexidade das operações —, é interessante desenvolver estratégias que otimizem esse processo.

Para isso, é relevante criar um planejamento orçamentário para obter a projeção da receita, dos custos, dos estoques e dos investimentos estimados nos próximos anos. No entanto, antes de realizar essa tarefa, é necessário conhecer bem seu negócio. Isso porque as empresas têm necessidades diferentes, então, cada plano deve ser adaptado à realidade da sua organização.

Além disso, é importante saber que essa atividade não consiste em suposições. Todas as conclusões devem ser precisas e feitas com base nos dados coletados, como o histórico de orçamento do negócio.

Atualmente, há muitos métodos que auxiliam no processo orçamentário e na gestão financeira da empresa, como o fluxo de caixa. Ainda, há diferentes softwares voltados para controle de custos e rentabilidade. Eles ajudam na coleta, armazenamento e tratamento de dados e, ainda, conferem dinamismo e versatilidade nas análises de orçamento da sua empresa.

Se você deseja conhecer algumas dessas soluções, nós da MyABCM trabalhamos com esses sistemas. Eles são voltados tanto para implementações avançadas quanto para gerenciamentos mais simples.

Agora que você entende a respeito da aplicação do orçamento dinâmico na empresa e sabe como aplicá-lo, não deixe de contar com a tecnologia para facilitar esse processo. Com ela, sua organização é capaz de otimizar os processos, aumentando a produtividade, reduzindo custos e melhorando seus resultados. Dessa forma, é possível ganhar destaque no mercado e conquistar vantagem competitiva.

Este conteúdo foi útil? Para obter uma melhor gestão financeira no seu negócio, confira também nosso artigo com 8 dicas para fazer o fluxo de caixa perfeito!