Embora o objetivo de todo o negócio seja alcançar o sucesso e se tornar rentável, essa tarefa não pode ser cumprida sem que dados confiáveis sobre sua situação financeira sejam apurados. O ponto de equilíbrio contábil é um caminho eficaz para que essa apuração de dados seja realizada.

Por meio da metodologia, o empresário consegue saber exatamente a quantia necessária para que seu empreendimento pague suas despesas e se torne viável. Além disso, com base nas informações que ela fornece, se torna mais fácil para o empreendedor planejar suas atividades e, finalmente, auferir lucros.

Gostaria de conhecer mais sobre o ponto de equilíbrio contábil? Continue lendo e descubra como calculá-lo e aplicá-lo ao seu negócio!

Conceito de ponto de equilíbrio contábil

Não é exatamente uma novidade que o funcionamento de uma empresa acarreta diversas despesas. Alguns empreendimentos passam por períodos de prejuízo constante, no começo de sua operação, uma situação que exige dos sócios e investidores disponibilidade de capital para que eles continuem ativos.

Entende-se por ponto de equilíbrio o momento em que o faturamento da empresa basta para financiar seu funcionamento, de maneira que sócios e investidores não são mais obrigados a fazer aportes constantes para garantir suas operações.

Alcançar um equilíbrio entre receitas e despesas é fundamental para a saúde financeira de qualquer negócio. Mas é importante ressaltar que a meta final de todo o empreendimento é alcançar o lucro, esse ponto existe como um parâmetro para viabilizar esse objetivo.

Graças a sua simplicidade, que torna seu cálculo e aplicação rápido e intuitivo, o ponto de equilíbrio contábil é a metodologia mais utilizadas para se verificar a situação financeira de uma empresa. Ela conta com duas variações: como cada uma delas é adequada para um cenário diferente, se faz necessário conhecê-las.

Ponto de equilíbrio financeiro

Existem muitas empresas que, em seus balanços anuais, incluem a depreciação de ativos e outros custos não embolsáveis. A metodologia por trás do ponto de equilíbrio financeiro leva em consideração apenas gastos que são diretamente descontados do caixa da empresa, o que automaticamente deixa as despesas não descontadas de fora do cálculo.

Portanto, ao realizar o cálculo para verificar o ponto de equilíbrio financeiro de um negócio, despesas como desvalorização de máquinas e equipamentos, que não representam um custo real, não devem ser computadas.

Ponto de equilíbrio econômico

No momento em que o empreendedor investe seus recursos em um negócio, ele deixa de lado outras modalidades de investimentos, o que, de certo modo, pode ser considerado um “custo de oportunidade”. O objetivo do ponto de equilíbrio econômico é mensurar esse custo.

Por exemplo, ao fazer uso de R$ 100.000,00 para abrir uma loja, o empresário deixar de investir esse capital em uma aplicação que forneceria a ele uma taxa anual de juros.

O ponto de equilíbrio econômico de uma empresa só é alcançado quando seu faturamento é o suficiente para financiar suas operações e ainda entregar o mesmo retorno que uma aplicação financeira teria entregue.

Digamos que a loja em questão tenha seu ponto de equilíbrio contábil equivalente a R$ 150.000,00. Para abrir a loja, o empresário deixou de lado um investimento que renderia a ele 10% ao ano, ou seja, R$ 10.000,00. Para essa loja, o ponto de equilíbrio econômico seria R$ 160.000,00.

Fórmula do método

O cálculo do ponto de equilíbrio está diretamente ligado a duas variáveis: despesas fixas e margem de contribuição. Antes de conhecer a fórmula, é necessário entender do que essas variáveis tratam.

Despesas fixas

Essa variável é composta pelos diversos custos que uma empresa tem para manter suas operações, entre eles podemos citar:

  • água;
  • luz;
  • matérias de escritório;
  • segurança.

Não devem ser consideradas despesas de produção como tributos sobre a venda, comissão para vendedores e matérias-primas. Isso porque esses valores já estão acrescentados no custo final do produto.

Margem de contribuição

Entende-se por margem de contribuição o resultado bruto obtido a partir das vendas da empresa. Além de ser importante para verificar o ponto de equilíbrio, ela é útil para calcular o melhor preço para a venda de um produto.

Seu cálculo exige que os custos com as mercadorias vendidas sejam somados aos tributos sobre as vendas. Esse valor deve ser subtraído do número total de vendas no período.

Por exemplo, digamos que uma empresa teve R$ 200.000,00 de faturamento com seu produto em um determinado período. Nesse espaço de tempo, seus custos para fornecer o serviço foram de R$ 30.000,00 e os tributos de R$ 80.000,00.

Valor arrecadado (VA) = R$ 200.000,00

Custos de produção (CP) = R$ 30,000,00

Tributos (T) = R$ 80.000,00

Margem de contribuição (MC)

MC = R$ 200.000,00 – (R$ 30.000,00 + R$ 80.000,00)

MC = R$ 200.000,00 – R$ 110.000,00

MC = R$ 90.000,00

MC % = R$ 90.000,00/R$ 200.000,00

MC %= 45%

Depois de realizar o cálculo, é fácil apurar que a margem de contribuição é de R$ 90.000,00 ou 45% do total apurado com a prestação dos serviços.

Aplicação da fórmula

Por fim, para calcular o ponto de equilíbrio (PE) de uma empresa, basta dividir suas despesas fixas (DF) por sua margem de contribuição (MC).

PE = DF/MC

Por meio de um exemplo, é mais fácil observar seu funcionamento. É necessário, porém, considerar que, na fórmula, a margem de contribuição deve ser apresentada em sua forma percentual.

Digamos que uma determinada empresa tem despesas fixas anuais de R$ 100.000,00. Nesse mesmo período de tempo, sua margem de contribuição é de 18%.

PE = DF/MC

PE = 100.000/0,18

PE = 555.555,55

Portanto, para evitar prejuízos, é necessário que a empresa em questão tenha um faturamento mínimo anual de R$ 555.555,55.

A mesma fórmula deve ser utilizada para calcular o ponto de equilíbrio financeiro e econômico. No financeiro, porém, se faz necessário desconsiderar todos os gastos não desembolsáveis da operação. Já para o ponto de equilíbrio econômico, o custo de oportunidade deve ser acrescentado às despesas fixas.

Por exemplo, caso o custo de oportunidade seja equivalente a 10%, na situação anterior, ele representaria R$ 10.000,00. De modo que, depois de acrescentados às despesas fixas, elas chegariam a R$ 110.000,00.

Sem conhecer ao certo o valor necessário para quitar suas despesas fixas, se torna impossível para o empresário projetar sua operação e auferir lucro. Por esse motivo, não é exagero afirmar que entender a metodologia para se encontrar o ponto de equilíbrio é vital para todo o empreendedor que deseja ser bem-sucedido.

Agora que você sabe o que é o ponto de equilíbrio contábil e entende como encontrá-lo, assine nossa newsletter e se mantenha bem informado a respeito de conteúdos relevantes como este!