Blog

 

Melhores conteúdos sobre custos e rentabilidade

Gestão de custos empresariais: 5 erros comuns para evitar

Hands of a man in one of them a pen in the other a calculator under a table with papers with charts and table

Alcançar a eficiência na gestão de custos é fundamental para que os resultados financeiros sejam aprimorados e a empresa consiga se manter competitiva no mercado.Para isso, é necessário planejar cuidadosamente os aspectos inerentes a essa área, além de evitar alguns erros que comprometem o sucesso do negócio.

A seguir, vamos falar mais sobre esses problemas, quais suas consequências e como eles podem ser evitados. Confira!

1. Não fazer o registro das operações

O registro das operações é necessário para manter o controle da empresa. Quando ele deixa de ser feito — ou é feito de forma negligente — fica praticamente impossível identificar quanto de dinheiro está entrando no caixa, quanto a empresa tem gasto pagando as contas, a quantidade de vendas realizadas em determinado período, entre várias outras coisas.

Sendo assim, é indispensável registrar tudo que é feito, até mesmo as retiradas ou vendas de pequenos valores, que podem ser consideradas irrisórias, mas que, quando se acumulam, provocam um grande furo nas contas.

2. Deixar de acompanhar o fluxo de caixa

O fluxo de caixa é o controle utilizado para registrar toda movimentação de capital que é realizada na empresa. Por meio dele, é possível tomar decisões estratégias a respeito do capital de giro, da composição dos estoques e do equilíbrio entre contas a pagar e a receber, por exemplo.

O ideal é revisá-lo diariamente, buscando inconsistências ou registros que não foram realizados. Essa frequência facilita a identificação de falhas e as ações tomadas se tornam mais eficazes do que se fossem apontadas depois de um mês, por exemplo.

3. Desconhecer os custos

Quando não se sabe ao certo quais são os custos totais das operações — incluindo o custo dos produtos, dos estoques, despesas gerais, mão de obra, entre outros…, não é possível controlar o que a empresa gasta e, muito menos, encontrar meios de reduzir seus impactos, que afetam, principalmente, a lucratividade da organização.

Além disso, esse conhecimento é necessário para que a precificação seja feita da forma mais assertiva possível, oferecendo um preço justo para os clientes, mas que ao mesmo tempo seja suficiente para cobrir os custos e ainda gerar um lucro satisfatório.

4. Não fazer uma precificação adequada

Bolar uma estratégia de precificação adequada é fundamental quando falamos em sobrevivência e mesmo em crescimento das organizações. Porém esta estratégia deve ser muito bem planejada, levando em consideração os custos e despesas da organização e o que o cliente percebe como valor – que é o que define o que ele está disposto a pagar pelo que irá levar em troca.

Estabelecer um preço muito acima sem justificativa faz com que o volume de vendas caia, ao mesmo tempo que reduzir os preços sem um embasamento (como a redução de custos, por exemplo) prejudica seriamente os resultados financeiros.

5. Utilizar controles manuais para fazer a gestão de custos

Com tantos controles e acompanhamentos que precisam ser feitos, além do grande volume de informações geradas no dia a dia, a realização de tarefas manuais faz com que os processos estejam mais sujeitos a erros e a necessidade de retrabalho – além de tornar os dados menos confiáveis.

Nesse sentido, o investimento em um software de gestão é essencial. Além de automatizar as atividades, auxiliar no processo de análise e tomada de decisões e tornar as informações mais seguras, um sistema auxilia no aumento da agilidade, da produtividade e na redução de custos.

No artigo de hoje, citamos apenas alguns dos vários erros na gestão de custos que devem ser evitados. O ideal é que o gestor avalie suas atividades constantemente, buscando por falhas e gargalos que afetam os resultados, e encontre soluções para minimizar — ou mesmo eliminar — esses problemas.